Sofia Almeida Barbosa, PhD.

Recordo-me de ser uma criança tímida, mas muito atenta ao comportamento das pessoas. Gostava de analisar o que se passava à minha volta. Era curiosa.
Sempre me interessaram as reações individuais e as caraterísticas de personalidade, caráter e temperamento (modo de ser emocional).
Lembro-me de gostar da conversa com adultos e de passar horas a ouvi-los.
Não sentia necessidade de tablets, smartphones, nem de internet, para me entreter. Sentia que aproveitava o meu tempo e aprendia.
Em criança, quando me questionavam: “O que queres ser quando fores grande?”, eu respondia médica cirurgiã. Mas a vida levou-me por outro caminho.
Não sou médica, mas considero-me cirurgiã de lesões emocionais.
O fascínio pelo comportamento e pela mente humana foi mais forte e abracei a Psicologia.

Muitas pessoas buscam o seu propósito de vida, eu encontrei-o. À pergunta “o que gosto mesmo de fazer e o que faço com facilidade e sem esforço?” respondo, sem hesitação: observo pessoas. Encanta-me ouvi-las, ajudá-las a compreender o seu comportamento e a serem mais felizes.

Gosto do ser humano. Sou defensora da solidariedade, disponibilidade e da ajuda.
Somos seres complexos, cada um com as suas idiossincrasias e não existem fórmulas mágicas para ajudar alguém.

Quis a vida que me especializasse em pessoas.

Hoje, com muito orgulho e dedicação, exerço a profissão de Psicóloga Clínica e da Saúde, com especialização na área da Família e dos Relacionamentos.

Percurso Académico

Licenciei-me em Psicologia Clínica e da Saúde durante quatro anos. Estagiei no Hospital de Viana do Castelo em Psiquiatria e Psicologia. Foi uma experiência gratificante que me proporcionou uma visão clara do que é trabalhar na saúde mental. Assisti a vários casos interessantes e entrei em contacto direto com a prática clínica.
Lembro-me da primeira consulta. Na visita ao internamento observei uma doente com ideias suicidas que afirmava que uma voz lhe dava comandos para que se atirasse da janela. São episódios marcantes que nunca se esquecem para quem se inicia nas lides das lesões emocionais.
Sentia-me nervosa, não tinha prática, estava a começar.
Contudo, a humildade, a persistência e a curiosidade foram sempre meus aliados, alicerçando a construção do meu percurso profissional.

Pós-graduei-me em Consulta Psicológica e Psicoterapia no Instituto de Psicologia Aplicada e Formação, no Porto. Aprendi as bases da autoconfiança, segurança e alicerces do atendimento clínico.

Mantive sempre grande abertura ao conhecimento e durante 3 anos realizei Análise Didata, em Psicanálise, orientada pelo psicanalista Prof. Doutor Rui Coelho. Foi uma vivência imersiva, autoanalítica, que recordo até hoje, principalmente do típico divã freudiano e dos cartapácios de livros que observava.

Para aprimorar os conhecimentos na área da sexualidade, realizei formação em Terapia Cognitiva Sexual, orientada pela Prof. Doutora Aline Sardinha.

Paralelamente a este percurso, adquiri conhecimentos em terapia do trauma e formação clínica na técnica EMDR, Eye Movement Desensitization Reprocessing, que significa dessensibilização e reprocessamento através do movimento ocular.
Atualmente, este método tem demonstrado eficácia no tratamento de alguns transtornos psicológicos.
Existe evidência científica sobre a EMDR e a inclusão desta terapia em algumas guidelines de organizações profissionais internacionais – American Psychiatric Association (APA), o Department of Veterans Affairs e o Department of Defense dos EUA, o National Institute for Health and Clinical Excellence (NICE) e a Organização Mundial de Saúde (OMS) – reforçou a sua credibilidade.

Reforcei a minha preparação com formação em Hipnose Clínica e Mindfulness (estar de forma consciente no aqui e agora fortalecendo a qualidade da atenção, o cognitivo, o emocional e o comportamental).
“Há pessoas que mostram alguma resistência à ideia de reservar tempo para si mesmas. A ética puritana deixou-nos uma herança de culpa quando fazemos algo apenas para nós. Não é sempre que vivemos aqui e agora, não fomos educados para isso”, Jon Kabat Zinn

Sempre me causou curiosidade a forma como as pessoas se relacionam umas com as outras e como isso impacta as suas vidas. Com esse objetivo, juntei-me à comunidade de estudos da especialista Esther Perel onde temos o privilégio de encontrar ferramentas e alargar horizontes numa abordagem multidisciplinar dentro do campo da inteligência relacional. “A qualidade dos nossos relacionamentos determina a qualidade das nossas vidas”, Esther Perel.

 

Formação Internacional

O momento mais marcante da minha vida académica e profissional, foi a oportunidade de estudar em Lyon (França), onde durante 9 anos tive o privilégio de realizar Mestrado e Doutoramento.
Nessa época frequentei seminários, palestras, cursos e congressos que foram estruturantes no meu pensamento científico.
Foi uma experiência única onde aprofundei conhecimentos na área da Família, dos Relacionamentos e da Sexualidade. Estas atividades deram corpo à minha carreira académica e influenciaram decisivamente a minha forma de pensar, conduta e qualidades pedagógicas.
Graças a essa experiência hoje detenho um perfil clínico e académico que se complementam e ajudam o meu quotidiano profissional.

Experiência Profissional

Ao longo dos últimos anos, tive experiências profissionais gratificantes que permitiram aquisição de conhecimentos e estratégias de comunicação na prática clínica e melhoraram o meu desenvolvimento humano e profissional.

A minha experiência como psicóloga dura há mais de 15 anos, trabalhando com casos de Ansiedade e Depressão que me proporcionaram competências e vantagens inegáveis na avaliação e ajuda dos pacientes.
Segundo a Organização Mundial da Saúde, “a Depressão afeta mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo”. Em Portugal, de acordo com a Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, atinge cerca de 20% das pessoas ao longo da vida.
As perturbações da Ansiedade são dos problemas de Saúde Psicológica mais comuns e afetam pessoas de todas as idades – crianças, adolescentes, adultos e idosos.
“1 em cada 6 portugueses sofre de ansiedade.”
Mas apesar da grandiosidade dos números estas perturbações ainda são muito estigmatizadas e um território desconhecido. É preciso falar de Saúde Mental, com abertura, normalizando as consultas como essenciais na vida de cada um.
É fundamental estarmos vacinados face às epidemias emocionais que afetam o ser humano!

Um foco essencial de atenção passa por alertar os portugueses para a necessidade da prevenção da doença psicológica. Na realidade, “1 em cada 5 portugueses sofrem de uma perturbação psicológica”. Por vezes, desvalorizamos a importância e a gravidade dos problemas de Saúde Psicológica, mas uma doença deste foro é tão má (ou pior) do que qualquer outra, uma vez que não existem evidências físicas.
Neste propósito, o reconhecimento precoce dos sintomas faz a diferença no resultado final.

Na minha vivência profissional tive ainda o privilégio de trabalhar durante 10 anos com médicos ginecologistas onde colecionei uma biblioteca de aprendizagens sobre a Saúde da Mulher.
Esta temática é de grande atualidade e cada vez mais importante para a mulher moderna e ativa. As especificidades destes problemas requerem um profissional experiente, habituado a uma abordagem multidisciplinar e com vasto conhecimento do leque de necessidades.
Ao longo dos anos, foi-me colocada à disposição informação detalhada, precisa e atualizada sobre a sexualidade da mulher. Este tema envolve falar sobre um corpo físico que transporta toda a representação psíquica. Há um corpo e uma alma que é preciso respeitar, conhecer e dignificar.
O equilíbrio entre eles é a chave da felicidade.

Durante 5 anos, fui responsável pela Área de Formação numa multinacional de cuidados de saúde. Esta experiência, como Learning Account Manager, proporcionou-me conhecimentos pedagógicos e de comunicação que me são muito úteis na relação com as pessoas.
A possibilidade de dar formação a centenas de pessoas, em todo o país muniu-me de um à-vontade de falar em público, que é uma das minhas grandes paixões.
A interatividade humana ensina-nos o aprender a ouvir, a empatia e a proximidade indispensável ao relacionamento interpessoal. É inegável a importância que esta experiência representou na minha carreira!

A base importante na minha carreira profissional é a minha experiência na área da Família, dos Relacionamentos e da Sexualidade. Para além do contributo académico internacional, a vivência clínica dos últimos anos tem-me ensinado sobre os relacionamentos e o amor, como pilar para uma vida mais equilibrada, feliz e estruturante na vida de cada um de nós.
Assim sendo é fundamental falar de amor e educar para os afetos!

Atualmente, estou envolvida em trabalhos sobre Família, Relacionamentos e Sexualidade com vários grupos de psicólogos clínicos.

Sofia Almeida Barbosa